Problemas: a solução criativa começa pela definição correta

por Jairo Siqueira · 1 comentário

em Criatividade, Técnicas e Ferramentas

Indagado o que faria se tivesse apenas uma hora para salvar o mundo, Albert Einstein respondeu: “Eu gastaria 55 minutos para definir o problema e 5 minutos para resolvê-lo”.

A definição do problema é reconhecida como um dos mais importantes passos para uma boa solução. Uma má definição pode nos levar a solucionar problemas errados, ocasionando mais perdas de tempo e dinheiro. Os melhores solucionadores de problemas são aqueles que são capazes de olhar os problemas de formas novas e perceber suas distintas nuances.

Freqüentemente, a percepção e a definição correta do problema é mais difícil do que sua solução. Além da habilidade de análise, a definição de problemas complexos requer algumas habilidades adicionais como a sensibilidade para perceber e entender problemas e oportunidades, a coleta e interpretação de dados, a criação e avaliação de diversas opções.

O modo como definimos nossos objetivos e vemos o problema afeta fortemente o modo como abordamos a situação e os resultados que obtemos. Freqüentemente, a definição adotada determina totalmente as ações para a solução. Para ilustrar esta afirmação considere a situação seguinte.

Imagine que você é o administrador de um prédio de escritórios e começa a receber reclamações sobre o serviço de elevadores. A primeira coisa que você faz e tentar definir o problema da melhor forma. As soluções para o problema dependem de como você o define. Examinemos algumas definições e as soluções que elas originam para vermos como a definição condiciona as soluções criadas.

Definição do problema: não há elevadores suficientes.
Solução do problema: aumentar o número de elevadores. Uma solução muito cara.

Definição do problema: os elevadores são muito lentos.
Solução do problema: substituir motores atuais por motores mais potentes. Outra medida dispendiosa.

Definição do problema: pico de demanda em alguns horários.
Solução do problema: reunir as empresas e estabelecer um escalonamento de horários de início e fim de expediente e de horário de almoço. Uma solução que requer difíceis mudanças de hábitos.

Definição do problema: o algorítimo de controle dos elevadores está errado.
Solução do problema: instalar novo sistema de controle informatizado. Solução também dispendiosa.

Definição do problema: muitas pessoas reclamam do serviço de elevadores.
Solução do problema: após ouvir alguns usuários, o administrador concluiu que as pessoas tinham a sensação de que os elevadores eram lentos. A comparação com outros prédios mostrou que esta percepção era exagerada. A solução adotada: colocar espelhos ao lado das portas dos elevadores em todos os andares. As pessoas aproveitam o tempo de espera para se observarem e se arrumarem. As reclamações foram quase totalmente eliminadas.

Explorando os dados

O exemplo acima nos ensina que a definição correta do problema requer uma cuidadosa exploração de informações sobre a situação. Somente assim podemos perceber, entender e focalizar os aspectos relevantes para a solução efetiva do problema. É importante que a situação seja examinada de diferentes pontos de vista, colhendo informações, impressões, percepções e sentimentos. Com isto, pode-se determinar que dados são mais importantes para a compreender a situação e definir o problema corretamente. Muitas vezes, a percepção do verdadeiro problema vem de fontes inesperadas ou usualmente ignoradas. A exploração de dados deve considerar:

Base de Conhecimento e Informação: conhecimento específico sobre eventos, pessoas, lugares ou situações; o que é conhecido e pode ser percebido, medido, calculado, verificado, descoberto, concluído ou inferido; a informação que você pode lembrar e usar.

Impressões: o que seu “sexto sentido” diz sobre a situação, imagens de experiências passadas, intuição e pressentimentos.

Observações: o que você vê, ouve, toca ou sente. Examinando cuidadosamente a situação e registre as informações que você recebe através dos sentidos.

Sentimentos: o impacto da situação sobre as pessoas; sua sensibilidade a sentimentos ou a reações emocionais e afetivas; suas preocupações com harmonia e relacionamentos.

Questionamentos: aspectos sobre as quais você se sente inseguro, confuso ou mal informado; sua curiosidade, os paradoxos ou sentimentos de perplexidade sobre a situação.

Dados do problema

Alguns aspectos comportamentais que interferem na definição de problemas

Algumas deficiências comportamentais interferem na análise dos problemas e freqüentemente resultam no tratamento equivocado dos mesmos. São:

  • Confundir o problema com seus sintomas.
  • Confundir suposições com fatos.
  • Avaliar antes de investigar.
  • Agir rapidamente, antes de pensar.
  • Equiparar novas e velhas experiências, deixando de perceber as especificidades da nova situação.
  • Ficar na superfície e deixar de levantar questões que vão além dos aspectos mais óbvios.
  • Limitar a análise do problema ao seu campo de especialização profissional.
  • Orientar decisões para um único objetivo, ignorando que muitos problemas envolvem múltiplos aspectos que devem ser tratados simultaneamente.

Em resumo, ao explorar os dados, você deve examinar a situação sob diferentes pontos de vista para determinar quais são mais importantes para o completo entendimento da situação e a correta descrição do problema.

Livros Criatividade

Artigos relacionados:

Mapa mental: organize suas idéias

Solução criativa de problemas Parte1

Solução criativa de problemas Parte 2

Solução criativa de problemas Parte 3

Solução criativa de problemas Parte 4

Para uma lista completa, consulte o Índice de artigos

Escreva seu comentário

{ 1 comentário… leia-o abaixo ou escreva o seu }

Diego abril 5, 2014 às 20:39

Obrigado, ajudou-me na definição dos problemas perante à baixa qualidade no ensino.

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: