Previsões furadas e ridículas: como o preconceito reage às inovações

por Jairo Siqueira · 3 comentários

em Criatividade, Inovação

Ao longo da história, muitas invenções que hoje fazem parte de nosso cotidiano enfrentaram preconceitos e ceticismo. O mais espantoso é que as resistências não vieram somente das pessoas comuns, mas também de conceituados cientistas e intelectuais. A seguir alguns casos que mostram como o “saber” dominante tenta liquidar as ideias inovadoras, sem mesmo dar-lhes uma chance de provarem seu valor e viabilidade.


…pode ser bom para nossos amigos do outro lado do Atlântico …mas não merece a atenção de pessoas práticas e cientistas. – Comitê do Parlamento Britânico sobre a lâmpada elétrica de Thomas Edison, 1878.Qualquer um familiarizado com o assunto reconhecerá isto (lâmpada elétrica) como um evidente fracasso. – Henry Norton, presidente do Stevens Institute of Technology, 1880.

 

A vulgar “carruagem sem cavalos” é no momento um luxo para os mais ricos; e embora seu preço possa cair no futuro, ela nunca, com toda certeza, se tornará de uso comum como a bicicleta – Literary Digest, 1899.O cavalo está aqui para ficar mas o automóvel é somente uma novidade, um modismo. – O presidente do Michigan Savings Bank aconselhando cliente a não investir na Ford Motor Co., 1903.

 

Máquinas voadoras mais pesadas do que o ar são impossíveis. – Lorde Kelvin, matemático e físico inglês, presidente da British Royal Society, 1895.É aparente para mim que as possibilidades do aeroplano, que há dois ou três anos foi considerado como a solução para a máquina voadora, se exauriram, e devemos nos voltar para outra parte. Thomas Edison, inventor americano, 1895.

 

O telefone tem muitas deficiências para ser seriamente considerado como um meio de comunicação. O aparelho é inerentemente sem valor para nós. Memorando interno da Westwern Union, 1878.Os americanos necessitam do telefone, mas nós não. Nós temos mensageiros em abundância. Sir William Preece, Engeheiro Chefe, British Post Office, 1878.

 

…Como o senhor bem sabe, Senhor Presidente, os vagões ferroviários são puxados a enorme velocidade de 15 milhas por hora por máquinas que, além de ameaçar a vida dos passageiros, rugem e bufam pelo seu caminho através do campo, incendiando as lavouras, assustando os rebanhos e atemorizando mulheres e crianças. O Todo Poderoso certamente jamais teve a intenção de que as pessoas viajassem a uma velocidade tão perigosa. – Matin van Buren, Governador de New York, 1830.
Livros Criatividade

Artigos relacionados:

Bloqueios à criatividade

Preconceitos: como exterminar idéias no berço

Como os erros de percepção afetam sua criatividade

Criatividade: mente aberta, olhos e ouvidos atentos

Criatividade e intuição

Para uma lista completa, consulte Índice de Artigos

Escreva seu comentário

{ 3 comentários… leia-os abaixo ou escreva o seu }

Vinicius de Castro setembro 8, 2011 às 16:02

Que incrível! Varias frases de pessoas estudadas que vieram a se provar grandes tolices.

Será que essas pessoas foram resistente a mudanças por verem diversas e diversas outras ideias que aparentemente pareciam boa e foram por água abaixo?

Algo como “gato escaldado tem medo de água fria”?

Responder

Jairo Siqueira setembro 8, 2011 às 21:16

Vinicius, penso que estas frases não resultam de fracassos, mas da dificuldade e medo de abandonar conceitos e práticas obsoletas.ribuição
Obrigado pela sua contribuição.
Jairo

Responder

Adriano R. de Lima agosto 21, 2010 às 20:09

Muito interessante. Parabéns pelo post e pelo blog Jairo.
Abraço
Adriano

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: