Serendipity: a arte de reconhecer e aproveitar as descobertas acidentais

por Jairo Siqueira · 3 comentários

em Criatividade, Inovação

Serendipity é uma palavra da língua inglesa que não tem equivalente em português. Significa uma descoberta e/ou uma experiência instrutiva não intencional e/ou inesperada que acontece por acidente e argúcia. Dois bons exemplos de descobertas acidentais são o Velcro e a descaroçadora de algodão, relatadas no artigo Desvendando o segredo dos grandes inventores.

A palavra serendidpity foi criada por Horace Walpole em 1754, que a formou após a leitura do conto The Three Princes of Serendip, cujos heróis estavam sempre fazendo descobertas, por acidentes e astúcia, de coisas que eles não estavam procurando. Serendip é a denominação antiga de Sri Lanka.

Importantes descobertas acidentais como o Velcro, a descaroçadora de algodão, a penicilina, o Raio X, o Teflon, o Nylon e uma grande variedade de remédios, mostram a importância da habilidade mental de reconhecer e aproveitar os imprevistos que revelam valiosas oportunidades de inovação. Esta habilidade mental pode ser desenvolvida pela compreensão do processo de serendipity e das atitudes que podem melhorar a percepção de eventos imprevistos.

Os quatro tipos de serendipity

Podemos considerar quatro tipos de descobertas acidentais:

  • Descobrir Y inesperadamente.
  • Procurar por X e encontrar Y inesperadamente.
  • Procurar por X e encontrar X por meios inesperados.
  • Descobrir um uso inesperado para X (ou Y).

Todos os quatro tipos envolvem alguma dose de sorte. Contudo confundir serendipity com pura sorte é uma conclusão equivocada e ingênua. Serendipity consiste, sobretudo, em como transformar a nossa sorte em descobertas valiosas. A capacidade de perceber e tirar proveito de um evento fortuito promissor requer conhecimento e uma mente alerta, aberta e flexível.

A penicilina foi descoberta em 1928 quando Alexander Fleming saiu de férias e esqueceu algumas placas com culturas de microrganismos em seu laboratório no Hospital St. Mary em Londres. Quando voltou, reparou que uma das suas culturas de Staphylococcus tinha sido contaminada por um bolor, e em volta das colônias deste não havia mais bactérias. Fleming não estava a procura de um agente antibacteriano mas, como tinha grandes conhecimentos em microbiologia, ele percebeu imediatamente a importância do que estava observando. Como disse Louis Pasteur: “Nos campos da observação, a sorte só favorece a mente preparada”.

As atitudes e habilidades que favorecem a serendipity

Para desenvolver a capacidade de perceber e tirar proveito das oportunidades reveladas inesperadamente é necessário cultivar algumas habilidades e atitudes, que estão também ligadas ao desenvolvimento da criatividade:

Curiosidade: o interesse em entender e explorar o evento inesperado observado, ao invés de simplesmente descartá-lo como trivial ou inoportuno. Considere como oportunidade tudo aquilo que se parece com uma oportunidade.

Mente flexível: quem vê somente o que é esperado e descarta os resultados inesperados como errados não fará descobertas. Evite julgamentos apressados e prematuros.

Conhecimento: uma maneira de se preparar para aproveitar as oportunidades fortuitas é através de estudos cuidadosos e intensivos no campo escolhido para as pesquisas. Prepare-se para entender a relevância do que está acontecendo e para avaliar suas potenciais consequências.

Dê chance ao inesperado: vivemos numa sociedade que nos torna prisioneiros da eficiência e da produtividade, tempo é dinheiro. Somos instados a somente dedicar nosso precioso tempo a atividades com um propósito definido, sem riscos de fracasso e com retorno imediato. Procure livrar-se ocasionalmente desta tirania e dedique uma pequena parte de seu tempo para perambular por caminhos nunca antes explorados. Nesta viagem, siga sua intuição.

Livros Criatividade

Artigos relacionados:

Desvendando o segredo dos grandes inventores

Criatividade e intuição

Criatividade: mente aberta, olhos e ouvidos atentos

Criatividade: o acaso somente favorece aos espíritos preparados

Pensamento criativo – você está no controle

Para uma lista completa, consulte Índice de Artigos

Escreva seu comentário

{ 2 comentários… leia-os abaixo ou escreva o seu }

INPI abril 13, 2011 às 16:38

Muito bom o artigo, excelente fonte de conhecimento.

Responder

Fabiano Amaro março 15, 2011 às 09:39

Excelente artigo!

Técnica e foco não são nada se você não se deixa levar pelos imprevistos de vez em quando. Aí sim podem surgir boas oportunidades!

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: