As vacas sagradas dão os bifes mais saborosos

por Jairo Siqueira · 3 comentários

em Criatividade, Técnicas e Ferramentas

Vacas sagradas

Esta frase escrita nos muros de Paris durante o movimento estudantil de 1968 resume o espírito de contestação naquele período. Tudo era questionável, era proibido proibir, a sua imaginação era o seu guia. Esta atitude questionadora levou a um surto de criatividade em diversos setores de atividade como nas letras, moda, música, artes plásticas, cinema e teatro, bem como a mudanças profundas nos costumes e comportamentos. Regras e suposições aceitas até então como absolutas foram questionadas e desafiadas. Muitas extravagâncias foram cometidas, mas é inegável que ideias inovadoras surgidas naquela época deixaram valiosas contribuições nas artes, na política, nos negócios e nos costumes.

 Quais são as suas suposições?

Nós estamos cercados de suposições a respeito de porque certas coisas existem e de como funcionam. Acostumamo-nos a aceitar e a não questionar estas suposições. Na verdade, temos grande dificuldade de enxergar e reconhecer estas suposições. Com muita frequência, elas são invocadas como razões e justificativas para que as coisas sejam mantidas como estão, imutáveis. Algumas suposições típicas:

  • Que é impossível fazer certas coisas, particularmente dentro de determinados limites de tempo e custo.
  • Que os clientes preferem (ou não gostam) de certas cores, sabores, formas, dimensões, modelos, locais, horários, etc.
  • Que alguma coisa funciona por causa de certas regras ou condições.
  • Que as pessoas acreditam, pensam ou necessitam de certas coisas.

Os tempos passam e as regras, suposições e procedimentos que se mostraram apropriados no passado podem se tornar obsoletos. Frequentemente, a obsolescência não é aparente e as ideias ultrapassadas tendem a ter uma sobrevida que vai muito além do ponto de declínio de sua eficácia.  

 Questione suas suposições

Para inovar você tem de identificar e desafiar as suposições. Examine a situação estudada com uma mente aberta. Quais são as suposições que nós fizemos a respeito deste assunto (negócio, produto, mercado, processo de trabalho, etc.)? O que nos parece tão óbvio que normalmente não pensaríamos em questioná-lo?

 Assuma que todas as suposições podem ser desafiadas e questionadas. Faça perguntas que coloquem em dúvida ou que desafiem as suposições. Por exemplo:

 Pergunte: Como seria se isto não fosse verdade? Se fosse diferente?

Pergunte: E se fizéssemos isto na metade do tempo?

Pergunte: E se invertêssemos a ordem?

Pergunte: E se fizéssemos isto em outro local? Em outra cidade? Em outro país?

Certamente, neste processo você encontrará novas suposições; responda estas suposições com novos desafios.

Lembre-se que toda situação, atividade, processo de trabalho, produto ou serviço se baseia em algumas suposições. Por exemplo, a decisão de centralizar as operações de uma empresa pode ter sido baseada nas suposições de que elas se tornariam mais ágeis, mais econômicas, mais eficazes e resultando em clientes mais satisfeitos. Estas suposições se confirmaram? Elas persistem até hoje? Vá fundo nos questionamentos; quanto mais sagrada a vaca, mais suculentos os seus bifes.

 Se você não conseguir encontrar as suposições é por que você está assumindo que elas não existem; esta é a primeira suposição a ser rompida.

No e-book Criatividade Aplicada você encontra tutoriais completos sobre as aplicações do Questionamento de Suposições e outras quinze ferramentas de criatividade.

Livros Criatividade

 Artigos relacionados:

Bloqueios à criatividade

Preconceitos: como exterminar idéias no berço

Criatividade requer a coragem de abandonar suas certezas

A passagem do Cabo do Medo

Para inovar, questione as regras sagradas

Para uma lista completa, consulte o Índice de artigos

Escreva seu comentário

{ 3 comentários… leia-os abaixo ou escreva o seu }

Davi junho 12, 2013 às 18:13

Gostei! Ainda não, Jairo. Está sendo difícil entrar no Aquário. Mas vou tentando 😉

Responder

Jairo Siqueira junho 12, 2013 às 14:40

Davi, obrigado pela referência no seu blog, valeu. Hoje publiquei novo artigo, penso que gostará deste também. Já virou peixe?
Abraços
Jairo

Responder

Davi junho 7, 2013 às 11:29

Jairo,

As quatro perguntas que você citou são muito poderosas! É sempre possível produzir melhor e com mais alegria quando desafiamos os métodos tradicionais. Continue postando dicas como estas. Já estou referenciando seu blog. Sucesso!

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: