Exercite sua mente: O encontro no espaço

por Jairo Siqueira · 24 comentários

em Criatividade, Jogos e Exercícios

Nada melhor do que um desafio para exercitar sua mente e desenvolver a criatividade. O exercício a seguir foi inspirado num conto de ficção científica que li há muitos anos. Não me lembro do autor: Robert Heinlein, Isaac Asimov, Clifford Simak? Não sei, mas vamos ao exercício.

A situação:

Depois de muitos anos explorando o espaço, nos confins de nossa galáxia, uma nave terrestre se vê frente a frente com uma nave alienígena. É o momento histórico tão perseguido: o primeiro contato com seres extraterrestres, a prova de não estamos sozinhos no universo.

Encontro no espaço

Passado o momento de perplexidade, começam as indagações: Quem são? De onde vieram? Quais são suas intenções? São pacíficas?

Tomadas as medidas de cautela e de defesa, a tripulação terrestre se dedica ao problema primordial: como se comunicar com eles, como estabelecer uma linguagem comum? Naturalmente, as mesmas indagações estão sendo feitas pela tripulação alienígena.

Após várias e cansativas tentativas, uma linguagem comum começa e surgir, com símbolos e sinais compreensíveis pelas duas tripulações. Trabalhando em conjunto, cada equipe na sua nave, conseguem desenvolver esta linguagem e estabelecer um canal de comunicação entre as duas civilizações. Uma troca de visitas é combinada e realizada. Com muita cautela, algumas informações são trocadas. Afinal, ainda persistem dúvidas de ambos os lados: quais são suas intenções, são pacíficas?

As duas tripulações combinam que voltarão aos seus respectivos planetas para relatar aos seus líderes a grande descoberta e marcam um segundo encontro no mesmo ponto. Mas surge uma dúvida em ambos os lados: e se a outra nave rastrear nosso retorno, descobrir a localização de nosso planeta, destruir nossa nave, armar uma grande frota de guerra e nos atacar de surpresa?

Este é o seu desafio: como assegurar que nenhuma das naves tenha condições de rastrear a outra, descobrir a localização de seu planeta e destruí-la? Que medidas você recomendaria às duas tripulações? Ajude-os a manter a paz no universo e fundar a comunidade intergaláctica dos seres de boa vontade. A solução não requer qualquer conhecimento tecnológico de sua parte, somente sua imaginação.

Pense.

Pense mais um pouco, não vale ir direto para a solução.

Solução do dilema: clique aqui

Livros Criatividade

Artigos relacionados:

Exercite sua mente: O jogo dos copos

Exercite sua mente: Retângulos vazios

Exercite sua mente: O Segredo do Cubo

Exercite sua mente: A travessia de Zeno

Exercite sua mente: o mentiroso e o honesto

Para uma lista completa, consulte Índice de Artigos

Escreva seu comentário

{ 24 comentários… leia-os abaixo ou escreva o seu }

Rael Xavier setembro 13, 2016 às 17:36

Evitaria que os alienígenas rastreassem a outra nave pela prospecção, mas não que ligassem algum dispositivo de emissão de sinal para rastreamento.

Responder

Brandon Veiga Da Silva novembro 2, 2015 às 09:15

Como se trata de um encontro intergalático, enviaria duas pequenas naves com pouco dos tripulantes, um que iria para o planeta e outro que “despistaria” se fosse necessário, assim não teria como rastrear qual foi para o planeta certo.

Responder

Robson Grotto abril 16, 2015 às 01:43

Simples, não iria adiantar troca de tripules, poderia haver alguma forma de tortura, mesmo não havendo um código de comunicação adequando, poderia haver…

Levando em consideração que as duas raças tem naves em orbita, imaginamos que exista comunicação com seu planeta ou postos de controle em outros planetas, indicaria que as duas raças fosse até postos de controle ou em algum lugar onde deveria ter uma comunicação com seu planeta e assim após informar sobre o ocorrido voltar para o segundo encontro.

Responder

Jairo Siqueira abril 16, 2015 às 11:03

Robson, obrigado pela sua participação. Sugiro acessar a página com a solução que proponho e comparar com a sua.

Responder

Gabriel Yuji novembro 23, 2015 às 03:54

Eu sugiro que as ambas naves das 2 raças combinam que estão em paz depois disso ambas voltaram aos seus respectivos planetas e ocorreu tudo bem , talvez occoreu um outro um outro encontro no futuro ou as raças formaram uma aliança .

Responder

Jairo Siqueira novembro 23, 2015 às 18:58

Gabriel, sua ideia supõe mutua confiança entre as duas partes. Como confiar naquilo que você não conhece?

Responder

icaro uktober dezembro 6, 2012 às 14:39

Bem o mais apropriado por min seria, troca de comando de nave deixar ligado apenas o comando de direção, troca de passageiros e uma conversa entre os dois povos por comunicação.

Responder

Jairo Siqueira dezembro 9, 2012 às 15:34

Boa solução, Ícaro. Obrigado.

Responder

Ariel maio 16, 2012 às 10:10

Eu proponho uma troca completa de naves. Removeriamos nosso sistema de rastreamento e ensinariamos aos alienigenas como guiar nossa nave. Eles ensinariam como guiar a nave deles aos terrestres e ficariamos na boa.

Responder

Jairo Siqueira maio 16, 2012 às 10:50

Ariel, Obrigado pela participação. Esta é uma boa ideia.

Responder

Thiago agosto 26, 2015 às 00:27

Nunca seria uma troca! kkkkkkkkkkkk

muito fácil falar e se fazer entender: vem aqui senhor alienígena que eu vou te ensinar a pilotar minha nave. e bem rápido, ok?
5 minutinhos eu vou resumir os anos do curso lá da terra.

aposto que os alienígenas iriam rir do medo de ser destruido! kkkkkkkkkkkk
não iriam entender, isso se conseguissem entender, que agente está com medo de ser rastreado e destruído.
Iriam se perguntar o motivo da troca e provavelmente diriam: “estamos nos conhecendo agora, qual a necessidade de te destruir?”

na minha opnião é: temos muito a aprender com vocês! vamos trocar conhecimentos.

Responder

Isaac Silva abril 20, 2012 às 19:23

Não poderia ter trocas de passageiros pois nao havia comunicaçao compreensivel entre eles!! pousaria em um local diferente antes de chegar na terra, passaria um tempo la!! depois voltaria com mais coragem para o nosso planeta, ou ficaria quieto na frente da nave!! esperando algum sinal!! mesmo nao podendo se comunicar, mas a linguagem de sinal parace ser absoluta, pois ate no mundo animal temos gestos que demonstram que vai ou nao nos atacar!!!

Responder

ana paula março 17, 2012 às 14:04

cada um levaria um diplomata na nave oposta…

Responder

Jairo Siqueira março 17, 2012 às 14:42

Ana Paula, esta ideia não evitaria o rastreamento da nave alienigena e a descoberta de sua origem. Este é o risco a ser evitado.

Responder

Ruth Leal junho 29, 2011 às 18:01

Poderiamos fazer uma troca de passageiros. A minha nave pegaria um alienigina e eles ficariam com um terraqueo! Assim fariamos um acordo de paz!

Responder

hilario setembro 13, 2009 às 20:57

BOM EU Procuraria fazer o seguinte, analisarei se a nave tem combustível o suficiente para fazer uma rota diferente, se tiver eu passava pro 3 ou 4 planetas antes de chega ao meu de destino se eles vêem de atrás no primeiro planeta entraria em sua órbita passaria por dento de sua órbita e daria a volta nele saindo do outro lado.
Faria isso com os outros 3 planetas “como eu estaria com uma nave explorando potro lugares é obvio que já teria passado por outros planetas desabitados”
E voltaria pata minha casa fazer o comunicado de contato imediato com outro seres

Responder

Jairo Siqueira agosto 20, 2008 às 22:23

Bruno,

Obrigado pela sua participação, oferecendo mais uma variante para a solução do dilema.

Responder

Bruno agosto 20, 2008 às 16:44

Pensei no seguinte:
tal como na solução elas deveriam desativar seus dispositivos de rastreamento, as duas naves marcariam o ponto de encontro para retorno. Para nenhuma ser pega elas deveriam fazer um percurso diferente o qual enganasse a outra caso queira descobrir a direção do percurso. Dessa maneira, quando elas voltassem ao ponto de encontro por outra direção, elas não descobririam a rota correta!

Responder

Wolf King julho 20, 2008 às 04:49

eu apenas sugiria como tratado de paz ou ate mesmo um sinal de confiança que a tripulação trocasse de nave assim nem nos e nem eles que possuiam pouco conhecimento ou ate mesmo nenhum sobre a ligua do outro naum poderiamos obter o controle sobre o sistema e muito menos localizar uns aos outros e alem de tudo poderia ser encarado como um tratado de confiança….
naum sei bem mais acho q essa seria uma situação interesante…

Responder

Jairo Siqueira setembro 15, 2007 às 13:58

Lucimar,

Há várias soluções, e esta é uma que poderia ser trabalhada e aperfeiçoada. Obrigado pela sua contribuição.

Responder

LUCIMAR JOSÉ setembro 15, 2007 às 13:04

EU POUSARIA EM PERTO DE UM LUGAR ONDE ELES NÃO PODERIAM VER MINHA LOCALIZAÇÃO POR EXEMPLO UM DESERTO TIRARIAM-OS LONGE DA CIVILIZAÇÃO ELES NO CASO PODERIAM PENSAR QUE ERAMOS ÚNICOS EM NOSSO PLANETA. É UMA NÉ

Responder

O PROCURADOR junho 3, 2007 às 23:07

Manipularia meu cérebro acreditando em meus próprios pensamentos, criando rotas e coordenadas de retorno imaginárias e não verdadeiras para o meu planeta , transformando assim, a minha realidade e a deles em uma realidade criada por nós mesmos.

Responder

Jairo Siqueira maio 12, 2007 às 10:41

Morgana,

Sua solução de usar a brincadeira de Pique-Esconde para distrair os alienígenas, é bastante original e revela dois pontos importantes sobre o processo criativo. O primeiro é que muitas vezes a criatividade surge da alma de criança que existe em todos nós, mas usualmente muito reprimida. O segundo, a criatividade resulta da combinação de experiências e conhecimentos que estão armazenados no fundo de nosso inconsciente, no caso as brincadeiras de sua infância. O grande obstáculo que enfrentamos é o bloqueio mental em reconhecer o valor destas experiências. Se posso lhe dar um conselho: seja sempre curiosa, amplie seu campo de interesses e enriqueça sua bagagem cultural. Isto lhe fornecerá um grande estoque de matéria prima para sua criatividade.

Um grande abraço e obrigado pela sua valiosa partipação.

Jairo

Responder

melo março 23, 2007 às 14:10

Como não deixar eles me seguirem até a Terra eu não sei. Mas que eu pousava no meio de Buenos Aires, ah pousava!

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: