Como selecionar suas melhores ideias

por Jairo Siqueira · 6 comentários

em Criatividade, Técnicas e Ferramentas

Gerar ideias é uma fase crucial do processo criativo, mas não é a única e nem a parte final, como alguns podem pensar. Decidir o que fazer com as ideias geradas, quais aproveitar e quais colocar de lado, é também uma atividade importante e crítica no processo de solução de problemas. Uma colheita descuidada pode por a perder os frutos de uma boa semente.

Terminada a fase criativa, podemos ter algumas dezenas de ideias para examinar e selecionar. Neste ponto, a tendência natural é fazermos uma comparação entre essas ideias, usando-se critérios de viabilidade técnica, econômica, política, etc. Isto nos conduz a um processo de eliminações sucessivas, até restar uma única ideia. Pode ser um grande erro, pois estaremos usando um critério único para comparar coisas diferentes. Este erro pode nos levar a transformar uma riqueza de ideias numa pobreza de opções constituída somente pelas ideias mais triviais e conservadoras, ou por ideias muito visionárias e impraticáveis.

Antes de comparar, classifique as ideias, agrupando-as segundo o grau de inovação e de facilidade de execução. Em seguida, compare entre si as ideias de uma mesma classe, selecionado as melhores de cada grupo. Ao final você terá um conjunto de boas ideias representando diversos graus de inovação, desde as mais triviais às mais visionárias. Você estará mais bem preparado para decidir sobre a estratégia de inovação mais adequada, ou seja, quais ideias podem ser implantadas imediatamente, quais necessitam ajustes e melhorias, quais as de médio prazo e quais serão retomadas no futuro.

Coloque cores em suas ideias

A Matriz de Classificação de Ideias é uma ferramenta que nos ajuda a agrupar as ideias de mesma natureza. A matriz é baseada em dois conceitos, inovação e viabilidade, formando quatro classes de ideias representadas por quatro cores: azul, verde, vermelho e amarelo.

Ideias cores

Ideias
azuis
Ações simples, imediatas e sem riscos; requerem poucos recursos; são fáceis de explicar e não encontram resistência.
Ideias verdes Ações de melhoria do que existe, como eliminação de erros, desperdícios e atrasos, redução de custos e melhoria da qualidade.
Ideias vermelhas Mudanças mais profundas, uma ruptura com a maneira tradicional de fazer as coisas; introdução de novos conceitos e novas tecnologias; requer novos conhecimentos, habilidades e atitudes.
Ideias amarelas Revolucionárias, uma mudança radical no que é feito, como, quando, onde, por quem, etc. São ideias para o futuro, de altos custos e muitas incertezas.

Como usar a Matriz de Classificação de Ideias:

1 Liste e numere as ideias.
2 Forneça a lista para cada participante ou afixe-a na parede.
3 Entregue a cada participante quatro cartões coloridos: azul, verde, vermelho e amarelo.
4 Instrua cada participante a selecionar 10 ideias para cada classe, totalizando 40 ideias selecionadas. Se o número de ideias geradas for pequeno, peça para selecionarem um número menor de ideias por classe, como 3, 5, etc. O importante é que o número total de votos por participante seja igual a 4 vezes o número escolhido.
5 Anotar o número da ideia no respectivo cartão colorido.
6 Conte o número de cores por ideia. Cada ideia é classificada pela cor dominante, ou seja, a cor mais votada.
7 As ideias não votadas, sem cor, são colocadas de lado.

Ao final, você terá as ideias de mesma natureza agrupadas e poderá dar a cada grupo o tratamento mais adequado à situação e aos seus objetivos.

Prudência ou audácia?

Com qual grupo de ideias devo trabalhar? A resposta é: depende. Depende do grau de inovação que você necessita para resolver seu problema. Basta uma simples melhoria ou é necessária uma mudança radical de métodos? Basta passar de carroça para caminhão, ou você precisa de um trem bala? O que seus competidores andam fazendo? A que distância você está deles?

Algumas vezes, uma boa estratégia é implantar de imediato as melhorias mais simples e se preparar para as mudanças mais radicais. Prudência ou audácia, pequenos passos ou grandes saltos? Cada um sabe onde o sapato lhe aperta, como também o comprimento de suas pernas.

Livros Criatividade

Artigos relacionados:

O processo criativo

Técnicas de criatividade

Como convencer as pessoas e vender suas idéias

Como líderes inovadores tratam as idéias criativas

Pensamentos convergente e divergente: o yin-yang da criatividade

Para uma lista completa, consulte Índice de Artigos

Escreva seu comentário

{ 6 comentários… leia-os abaixo ou escreva o seu }

Luís abril 3, 2015 às 13:35

Ótimo artigo, obrigado por compartilhar.

Responder

Cláudia junho 9, 2012 às 01:29

Excelente material. Em muito contribuirá para a minha prática profissional.
Parabéns pelo seu trabalho.
Cláudia.

Responder

pedro julho 8, 2010 às 18:59

gostaria de conhecer mais sobre o assunto

Responder

claudinei do nascimento janeiro 26, 2010 às 19:52

Parabens ,
gostei muito deste site ,otimas informações

Responder

Jairo Siqueira setembro 17, 2007 às 21:22

Augusto,

Muito bem dito. Uma bela abordagem para responder a pergunta “Prudência ou audácia”.

Jairo

Responder

Augusto Caldas setembro 17, 2007 às 09:09

“Prudência ou audácia?

Com qual grupo de idéias devo trabalhar? A resposta é: depende.”

Combinar prudência, para as preocupações do cliente, e audácia, para as objeções dos clientes.

“Duro com os problemas (audácia) e suave com as pessoas (prudência).”

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: