Como lidar com os bloqueios a criatividade

por Jairo Siqueira · 7 comentários

em Criatividade, Técnicas e Ferramentas

Bloqueio criatividadeComo explicar as grandes diferenças nas habilidades de lidar com os bloqueios à criatividade entre pessoas de mesma formação e trabalhando num mesmo ambiente? Há muitas razões, mas uma das mais importantes parece ser a diferença de percepções sobre a natureza dos obstáculos encontrados. Embora trabalhando em condições idênticas, as pessoas vêm os obstáculos de formas diferentes e chegam a conclusões distintas sobre suas capacidades para superar estes obstáculos. Diferentes percepções levam a diferentes atitudes mentais, que levam ao sucesso ou ao fracasso.

O Modelo de Gerenciamento de Bloqueios

Frank Navran desenvolveu um modelo original para identificar estas diferenças de percepções e ajudar as pessoas a superar os bloqueios à criatividade. Segundo Navran, as percepções das pessoas sobre os obstáculos caem em quatro categorias:

Categoria 1 – A Parede de Alvenaria

Alguns obstáculos são realmente inalteráveis. Há coisas no mundo real que inibem nossa criatividade e desempenho e que não são fáceis de mudar: a estrutura da empresa, escassez de recursos, juros altos, legislação restritiva, crises econômicas, infra-estrutura deficiente, taxas de câmbio, burocracia estatal, etc. Estes são fatores que afetam o desempenho e limitam a inovação de produtos e processos, mas estão fora do controle individual e coletivo. São como paredes de alvenaria: reais e inamovíveis.

Categoria 2 – A Divisória

A segunda categoria de obstáculos são aqueles que podem ser administrados mediante esforço, tempo, dinheiro, pessoal adicional e outros recursos. Um indivíduo isolado pode fazer algum tipo de progresso na superação destes inibidores de desempenho e criatividade. Um pequeno grupo de pessoas pode obter um pouco mais de progresso. E, mais importante, este tipo de obstáculo pode ser administrado na sua maior parte ou totalmente se os supervisores e gerentes se envolverem.

Este tipo de obstáculo pode ser comparado com uma divisória: se empurrada pela base pode ser movida um pouco, mas se empurrada num nível mais alto pode ser derrubada. Os trabalhadores precisam de ajuda para remover estes obstáculos reais.

Categoria 3 – A Parede de Papel

Lembre-se do grande painel de papel que o palhaço atravessa para deleite da platéia do circo. Até ser testado, este obstáculo parece ser impenetrável. No ambiente de trabalho temos vários exemplos, como a suposição de que o chefe não vai aprovar, que a ideía não será apoiada por outro departamento, que contraria a política da empresa, que vai contra a maneira como as coisas sempre foram feitas, etc.

Estas suposições nem sempre são verdadeiras, não passando muitas vezes de temores infundados, e que podem ser eliminados mediante uma boa conversa. Comunicação franca e leal costuma ser a melhor atitude para lidar com estes bloqueios. Enquanto não for testado, este obstáculo é tão efetivo em bloquear a criatividade e reduzir o desempenho como os outros dois primeiros, que são reais.

Categoria 4 – A Mentalidade

Este tipo de obstáculo é o mais perturbador de todos. Representa uma atitude mental rígida que predetermina a interpretação e a resposta da pessoa a um desafio ou situação. É fruto de crenças, preconceitos e percepções não comprovadas. Quando as pessoas acreditam que elas não conseguem, elas não conseguem. São obstáculos imaginários, mas fortemente alienantes e inibidores da criatividade. Geralmente, estes são os obstáculos mais comuns e que caracterizam as pessoas pouco criativas e de baixo desempenho.

Interpretando o modelo

As pessoas lidam de maneiras muito diferentes com os obstáculos que elas encontram. As muito criativas e de alto desempenho, não são geralmente impedidas por muitas coisas que bloqueiam o caminho das pessoas de desempenho médio ou baixo. Elas são mais pró-ativas ao lidar com os desafios. Elas gostam de testar os obstáculos para ver em que categoria eles caem. Elas tendem a envolver gerentes no trato dos obstáculos das categorias 1 e 2 e cuidar elas mesmas dos obstáculos das categorias 3 e 4.

As pessoas de desempenho médio, de outro lado, podem ser paralisadas de muitas maneiras. Algumas podem tentar de maneira desastrada remover os obstáculos da categoria 1 sem ter o poder para tal. Elas podem dedicar muito de seu tempo e energia na tentativa de remover sozinhas os obstáculos da categoria 2, sem contudo obter resultados que valham o esforço.

As pessoas de fraco desempenho podem apresentar uma extensa lista de obstáculos que as impedem de realizar alguma coisa, especialmente quando se trata de mudanças. Elas têm infindáveis razões para explicar o seu baixo desempenho.

Como usar o modelo

Você pode realizar um exercício para ajudar as pessoas de baixo e médio desempenho a remodelar suas atitudes mentais e a desenvolver comportamentos mais pró-ativos e criativos.

  1. Inicie a reunião com a pergunta: “Quais são alguns dos obstáculos que estão impedindo a realização das coisas (melhoria da qualidade, da produtividade, do trabalho em equipe, etc) por aqui?”. Defina o tema e deixe o grupo fazer o brainstorming das suas respostas. É recomendável apresentar ao grupo as regras de uma sessão de Brainstorming.
  2. Escreva as respostas num flip chart sem editá-las, exatamente como foram faladas. Quanto mais repostas, melhor. Se as respostas ficarem lentas, faça algumas perguntas para estimular o grupo. Pergunte, por exemplo: “Que tal as relações entre os departamentos?“.
  3. Assim que tiver uma lista satisfatória, explique para eles o modelo de Gerenciamento de Bloqueios, descrevendo as quatro categorias.
  4. Volte ao flip chart e peça ao grupo para categorizar cada um dos obstáculos listados.

O que eles descobrirão é que cerca de 80% dos obstáculos cairão nas categorias 3 e 4, ou seja, bloqueios que estão dentroda cabeça das pessoas e que elas mesmas podem resolver. Além disso, as pessoas de alto desempenho e mais criativas apresentarão sugestões de como lidar mais efetivamente com a categoria 2. Você, como gerente, cuidará da categoria 1; alguns obstáculos da categoria 2 poderão ser tratados por uma equipe, que incluirá algumas das pessoas de baixo desempenho.

Tome o cuidado para que a equipe trate de problemas específicos e saia do seu caminho, deixando que ela procure suas próprias soluções.

Fonte: Este artigo é uma adaptação de Managing Roadblocks de autoria de Scott Simmerman (http://www.squarewheels.com)

Livros Criatividade

Artigos relacionados:

10 atitudes das pessoas muito criativas

Pensamento Lateral: como se libertar dos bloqueios mentais

Liberte-se da Síndrome da Jaula Pequena

A passagem do Cabo do Medo

Ouse sonhar, não tenha medo de sua criatividade

Para uma lista completa, consulte Índice de Artigos

Escreva seu comentário

{ 7 comentários… leia-os abaixo ou escreva o seu }

lúcia vales abril 9, 2010 às 10:42

Obrigada! site nota 10! Grande ajuda para as minhas aulas de criatividade e inovação. É bom poder contar com pessoas que compartilham conhecimentos. Muito grata.

Responder

mayara abril 7, 2008 às 12:37

olá JAIRO achei muito interessante o seu site ele me ajudou muito em um trabalho escolar .
espero que você renove cada dia mais, para aprendermos melhor a nos desenvolver.

fique com DEUS….

mayara

Responder

Angelica setembro 10, 2007 às 10:09

Olá!! Gostei muito desse texto Jairo, acho que nos dias de hj quanto mais trocarmos ideias, as portas vão se abrir p/ todos.

bjs

Responder

Jairo Siqueira agosto 13, 2007 às 22:08

Marcia,

Me interessa muitíssimo a troca de idéias sobre mediação de conflitos. Não sou um especialista no assunto, mas minhas atividades me levaram a lidar freqüentemente com situações de conflitos. Em breve, publicarei neste blog alguns artigos sobre negociações criativas.

Um abraço,

Jairo

Responder

Márcia Gama agosto 12, 2007 às 17:33

Olá Jairo

Apesar de cadastrada há muito tempo, sou nova no Via6 na experiência de fazer parte dess comunidade e me comunicar com os outros membros, por isso não sei bem se esse é o espaço certo para lhe dizer que gostei do artigo, instigante e desafiador pelo que nos propõe de mudança.
Gostaria de trocar idéias sobre um dos seus interesses, que é a minha praia – Mediação de conflitos, e quem sabe aprender mais com sua experiência.

Abraços
Márcia Gama – Recife

Responder

Jairo Siqueira julho 25, 2007 às 20:57

Ronaldo,

Tenha um bom proveito e volte sempre. Gostaria que depois você me desse um feedback sobre o uso desta técnica.

Um grande abraço,

Jairo

Responder

Ronaldo julho 25, 2007 às 09:11

Olá Jairo, bem oportuno este texto, vou aplicá-lo em grupo que pertenço no qual sou mediador.

Obrigado

Ronaldo

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: