Como os erros de percepção afetam sua criatividade

por Jairo Siqueira · 0 comentários

em Criatividade

Post image for Como os erros de percepção afetam sua criatividade

O leitor E.P. Silva pergunta como os bloqueios de percepção podem afetar sua vida profissional. Para responder a esta pergunta, vejamos os bloqueios de percepção mais comuns e como eles podem afetar suas decisões e criar barreiras para a criatividade.

Primeiro: Vendo o que você quer ver – estereotipando

O dicionário define estereótipo como a compreensão muito generalizada, preconcebida e empobrecida de algo; idéia repetitiva, sem originalidade. Os estereótipos ocupam um papel de peso em nossas vidas. Por exemplo, nós temos a tendência de cultivar preconceitos e aplicar rótulos as pessoas conforme a cor de sua pele, religião, opção sexual, profissão, etc. Ignoramos que estes grupos são formados por milhões de pessoas com suas individualidades; elas podem ter algumas coisas em comum, mas elas não são iguais. Ao tomar uma decisão sobre uma pessoa, como uma recomendação para promoção ou uma parceria de negócio, não podemos nos basear em preconceitos e rótulos, mas nos seus talentos e competências, no que ela é como um indivíduo.

Os estereótipos não se aplicam somente às pessoas, mas também aos objetos, produtos e empresas. Por exemplo, há anos os produtores de cachaça lutam contra o preconceito antigo de que se trata de uma bebida de arruaceiros e vagabundos. Um tipo de estereótipo muito comum é aquele que atribui a um objeto uma função única e fixa. Para a mente estereotipada, livro se vende em livrarias, telefone é para conversar. Jamais pensaria em associações inovadoras, como vender livros pela internet ou agregar ao celular música, fotografia e GPS.

Segundo: Dificuldade em isolar o problema

O sucesso na solução de problemas depende da capacidade em isolar o problema dentro da complexidade de todas as informações reais e imaginárias disponíveis. Os problemas podem ser obscurecidos por pistas inadequadas ou informações misturadas. Será este produto defeituoso devido à negligência dos operários ou a uma falha no processo de produção, ou a um defeito na máquina, ou mesmo a uma falha no treinamento? Conheço muitos gerentes rápidos em atribuir, sem a devida análise dos fatos, todos os problemas de qualidade à negligência dos operários. Os problemas não são resolvidos e se repetem, alimentando ainda mais os preconceitos sobre os trabalhadores. Há inúmeras ferramentas de análise que nos ajudam a tratar as informações e a entender melhor o problema a resolver.

Nem sempre a solução de um problema está na remoção de uma dificuldade. Às vezes, a solução está numa nova maneira de fazer as coisas. Por exemplo, antes de pensar nos meios de tornar mais produtivas as reuniões enfadonhas, classifique-as primeiro (informação, consulta, tomada de decisão, etc.) e pense em como eliminar alguns tipos de reunião usando recursos como a internet (email, blog, skype, foruns, etc.). Depois de feitas as eliminações, pense em como tornar mais produtivas as que sobraram.

Terceiro: Tendência a restringir demais a área do problema

Assim como às vezes é difícil isolar adequadamente o problema, também é difícil evitar restringi-lo demais. Temos a tendência de criar restrições à solução do problema, criar ou supor certas regras e condições. Os exercícios Encontro no espaço e O jogo dos copos ilustram alguns tipos de limitações que restringem nossa criatividade na solução de problemas.

Outro tipo de limitação muito comum aparece na formulação do problema. Se você formular o problema de uma maneira restrita, estará também limitando as possíveis soluções. Colocando o desafio numa abordagem mais ampla, você se coloca numa posição de explorar um maior número de idéias para enfrentar o desafio.

O setor de transporte marítimo fornece um bom exemplo das consequências de não usar todas as abordagens na solução de um problema. Em meados do século 20, este setor enfrentava grandes dificuldades devido à elevação de seus custos. Acreditando que o problema estava nos custos de operação dos navios no mar, a indústria aumentou o tamanho dos cargueiros, desenvolveu motores mais econômicos e reduziu a tripulação. No entanto, os custos continuaram muito elevados. Uma abordagem mais ampla revelou que o uso de navios maiores tinha aumentado substancialmente os custos de permanência nos portos para carga e descarga das mercadorias. A idéia que salvou a indústria naval foi a utilização de contêineres, que possibilitou a redução da permanência nos portos.

Quarto: Inabilidade em ver o problema de vários pontos de vista

A habilidade em explorar pontos de vistas distintos pode conduzir a soluções mais criativas e melhores e que agradem a um número maior de pessoas. Muitos problemas envolvem interesses diferentes e a aceitação de uma solução depende do grau em que pontos de vista distintos são considerados. Nem sempre a melhor solução sob o ponto de vista técnico ou econômico é também a melhor sob o ponto de vista ambiental ou social, para citar uma situação muito comum hoje em dia. Saber lidar com a diversidade de enfoques e interesses é uma habilidade essencial na resolução de problemas complexos.

Em resumo, nós estamos cercados de suposições a respeito de porque certas coisas existem e de como funcionam; acostumamo-nos a aceitar e a não questioná-las. Na verdade, temos grande dificuldade de enxergar e reconhecer estas suposições. Com muita frequência, elas são invocadas como razões e justificativas para que as coisas sejam mantidas como estão, imutáveis. A ferramenta Questionamento de suposições pode ajudá-lo na identificação destes bloqueios à criatividade.

Lembre-se: Se você não conseguir encontrar as suposições é por que você está assumindo que elas não existem; esta é a primeira suposição a ser rompida.

Livros Criatividade

Artigos relacionados:

Preconceitos: como exterminar idéias no berço

Ferramentas de criatividade

Como lidar com os bloqueios à criatividade

Problemas: a solução criativa começa pela definição correta

Regras para a solução criativa de problemas

Para uma lista completa, consulte Índice de Artigos

Escreva seu comentário

{ 0 comentários… acrescente o seu agora }

Artigo anterior:

Artigo seguinte: