Pensamento crítico: o ceticismo saudável pode ser um valioso aliado de sua criatividade

por Jairo Siqueira · 6 comentários

em Criatividade, Pensamento crítico

O principal objetivo da educação nas escolas deveria ser a criação de homens e mulheres que sejam capazes de realizar coisas novas e não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram; homens e mulheres que são criativos, inventivos e descobridores, que possam ser críticos e verificar, e não aceitar, tudo que lhes é oferecido. Jean Piaget, educador e cientista suíço.

Pensamento-critico_1Interpreto as palavras de Piaget no sentido de que as pessoas realmente inovadoras são aquelas que sabem combinar a imaginação com a habilidade de verificar objetivamente as ideias que lhe são apresentadas ou que surgem de sua própria mente. Em resumo, dominam tanto o pensamento criativo quanto o pensamento crítico.

Pensamento criativo é o processo que usamos para gerar ideias que são originais, úteis e valiosas. Pensamento crítico é o processo que usamos para determinar a veracidade, a exatidão e o valor das suposições que sustentam nossas próprias ideias ou de terceiros.

Tendemos a pensar no processo criativo como uma sequência de atos da imaginação exclusivamente mas, na verdade, a criatividade aplicada à inovação envolve tanto o pensamento criativo, a geração de novas ideias, como o pensamento crítico, quando analisamos estas ideias. O segredo da criatividade está na separação destes dois tipos de pensamento, evitando que um interfira no outro. Esta separação é a base do Brainstorming e muitas outras técnicas de criatividade.

Assim sendo, o raciocínio crítico planejado e bem dosado se mostra útil em dois momentos do processo criativo. Num primeiro momento, quando enfrentamos as verdades estabelecidas, as suposições e preconceitos que bloqueiam os esforços de inovação. Num segundo momento, ao final do processo criativo, quando temos de julgar a utilidade e o valor das diversas ideias e tomar decisões. Neste ponto, o pensamento crítico não deve ter o propósito de enterrar as ideias, mas de revelar seus pontos fortes e fracos e apontar onde e como as melhores ideias podem ser aprimoradas.

Quando falamos de inovação, o domínio do pensamento crítico pode se tornar tão importante quanto o conhecimento das técnicas e ferramentas de criatividade. Saber combinar os dois processos de pensamento resulta num processo criativo muito mais produtivo. A geração de ideias originais e verdadeiramente valiosas resulta de combinação inteligente de momentos de criatividade e momentos de análise crítica e verificação do valor das ideias geradas. Assim sendo, com este artigo iniciamos uma série sobre os fundamentos do pensamento crítico e suas aplicações:

Ao final desta série de artigos, espero que você concorde comigo que a mente inovadora resulta da combinação de sonhos e imaginação livre com uma boa dose de saudável ceticismo, ou seja, a habilidade de entender e examinar minuciosamente idéias, argumentos e opiniões. Há a hora de sonhar, mas há também a hora de duvidar e questionar.

Os homens se tornaram civilizados, não em razão de sua disposição para acreditar, mas de sua presteza para duvidar. H. L. Mencken.

Livros Criatividade

Artigos relacionados:

Para inovar, questione as regras sagradas

Criatividade e inteligência

Bloqueios à criatividade

Preconceitos: como exterminar idéias no berço

Como os erros de percepção afetam sua criatividade

Para uma lista completa, consulte o Índice de artigos

Escreva seu comentário

{ 6 comentários… leia-os abaixo ou escreva o seu }

JOSEILMA abril 6, 2015 às 17:14

Colocar data em seus Artigos seria de fundamental importância. Só consigo supor que foi escrito em 2009 ou antes. Isso porque ter um comentário feito em 01 de agosto de 2009. Queria citá-lo em um trabalho de especialização, onde fico impossibilitada.

Atenciosamente.

Responder

Jairo Siqueira abril 6, 2015 às 20:43

Joseilma, não evidenciar a data de publicação é uma opção que adotei, pois meus artigos tratam de temas cuja relevância não é afetada pelo tempo. Alguns leitores levantavam questionamentos sobre a validade dos mesmos, o que é irrelevante, ainda mais considerando que não tenho nenhum propósito acadêmico, mas tão somente disponibilizar conhecimento e experiência. Sinto muito que esta minha opção tenha causado um inconveniente para sua pesquisa. O artigo foi publicado em 21/06/2009, como você pode constatar no endereço da página: http://criatividadeaplicada.com/2009/06/21/pensamento-critico-o-ceticismo-saudavel-pode-ser-um-valioso-aliado-de-sua-criatividade/

Cordiais saudações,

Responder

jaqueline setembro 16, 2012 às 19:31

Refletir é muito importante. Além de pensar é preciso de fato questionar-se e ter objetivos no sequencia de pensamento. Gratidão pelo texto!

Responder

Eliana Rezende julho 5, 2012 às 10:29

Muito importante diferenciar a critica da craitividade!
Ainda esses dias postei algo em relação a importancia da dúvida. Revferia-se a um artigo de Shermer é um radical defensor da ciência como único método válido de explicação do mundo e adepto de um ceticismo científico que se desenvolve a partir de descobertas recentes das neurociências. É dessa imbricação entre neurociência e ceticismo que ele propõe sua principal teoria: a de que o cérebro é feito para acreditar em qualquer tipo de coisa, sejam verdadeiras ou não. O ceticismo seria, então, o único remédio contra essa compulsão à crença que leva o ser humano a crer, até mesmo, em coisas estranhas. Saiu na Valor:
http://www.valor.com.br/cultura/2603326/duvidar-e-preciso
O fundamental nesse caso é de que Não se trata aqui de duvidar por duvidar ou criar um celeuma religioso. É mesmo procurar trazer à baila a importância e o valor que o pensamento crítico propicia. E este só encontra terreno fértil ante à dúvida. É preciso questionar sempre para que as respostas venham não como mera osmose, mas a partir de um trabalho sério de crítica e reflexão.
Vejo ser “natural” no humano a busca de crer antes até de entender.
A dúvida, portanto seria um caminho mais sábio que favorece a possibilidade de compreender não de um ponto de vista meramente crédulo, mas estruturado e embasado.
Talvez o maior problema de credulidade seja as “verdades interiores” que se pautam sobre nossas crenças pessoais e essas muitas vezes não possuem tanta lógica. Creio que o caminho do amadurecimento é exatamente encontrar crítica num universo que é o pessoal e com ele compreender o que está à volta.
Caminho difícil esse de amadurecer, não é?
Abs

Responder

Wilson agosto 4, 2009 às 13:02

Muito bom! Mas como sou uma pessoa critica, não poderia deixar passar… Acho que aceitar bons costumes são extremamente saudáveis. Acreditar em fontes confiáveis também! Lógico que uma fonte se torna confiável a medida que vamos experimentando do relacionamento com ela. Ex. Deus, Nossos pais, amigos e etc..

De um modo geral, foi muito interessante, me conhecer nesse artigo! Abç!

Responder

Araguaci agosto 1, 2009 às 13:17

Parabéns pelo artigo, excelente. A mente é como o motor de um carro, precisamos sempre dar manutenção.

Responder

Artigo anterior:

Artigo seguinte: